sábado, 30 de junho de 2012

Aberta a 9ª edição do Arraial da Providência


Raphael Freire


Está aberta a 9ª edição de uma das mais tradicionais festas juninas do Rio de Janeiro. O Arraial da Providência ou Roça in Rio, como também é conhecida, acontece entre os dias 29 e 30 de junho e 1º de julho, no Jockey Club, na Gávea.

Um coquetel beneficente, na noite da última quinta-feira, 28 de junho, abriu o evento que já faz parte do calendário anual da cidade e contou com a presença do Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, diversos sacerdotes, organizadores do evento e representantes das empresas patrocinadoras e apoiadoras do Arraial, que foram homenageadas com um troféu desenvolvido pela Agência Oi Estúdio e produzido pela Agência Emaús, projetos do Banco da Providência.

Dom Orani ressaltou o trabalho de solidariedade cristã que o Banco realiza há mais de 50 anos, como um legado deixado por Dom Hélder Câmara. O Arcebispo falou da alegria de poder participar de mais uma edição do evento e agradeceu a todos pelo incentivo à promoção humana em todas as suas dimensões.

— É uma alegria podermos abrir solenemente o Arraial da Providência. Agradeço aos organizadores e aos patrocinadores que investem no presente e no futuro de uma sociedade melhor. O Banco da Providência é um braço social da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Portanto, é papel da Igreja Católica, sem ver religião, atender a todos e promover a todos procurando o bem da nossa sociedade, afirmou.
Padre Omar faz pré lançamento do CD "Peço a Deus"
Uma das atrações da noite, que empolgou os convidados com o seu show, foi o Padre Omar Raposo. Fazendo um pré-lançamento de seu primeiro CD intitulado “Peço a Deus”, juntamente com sua banda, o Sacerdote inovou trazendo canções em ritmo de samba. Além disso, o show contou com a participação especial do Padre Jorge Luiz Neves (Jorjão), que falou sobre a experiência de poder participar do Arraial cantando ao lado de Padre Omar.
— O Padre Omar é muito bondoso por me chamar para cantar com ele. Aliás, só ele poderia fazer isso comigo, porque com outra pessoa eu não aceitaria cantar, pois sou muito tímido. Foi uma alegria estar com ele, que é o rosto e a imagem da igreja vibrante e evangelizadora. Além disso, é uma graça muito grande estar aqui no Arraial da Providência, nesse trabalho tão bonito de solidariedade, que atinge tantos corações e tantas vidas... Um grande presente de Deus, disse.

O Reitor do Santuário Cristo Redentor do Corcovado, Padre Omar Raposo também destacou a importância de fazer o pré-lançamento de seu CD no Arraial. Para ele, o evento tem uma importância fundamental para a cidade do Rio de Janeiro.

— O Arraial da Providência é uma festa tradicional da nossa cidade e algo maravilhoso que congrega muitas pessoas interessantes. Poder cantar aqui nessa festa é algo singular, algo que marca a nossa carreira musical e, ao mesmo tempo, mostra que a partir da solidariedade a gente pode construir um mundo melhor. E isso não é bordão não, é uma realidade. A solidariedade subsidia e mantém toda uma realidade negativa, realidade das drogas e do desemprego, que se encontra diante de nós. Então, a caridade aqui realizada, a solidariedade dos irmãos nesse arraial, se reveste de maneira total em benefício para tantos necessitados da nossa cidade do Rio de Janeiro, ressaltou Padre Omar.
Muitas atrações para destinar recursos para programas sociais
Além de todas as atrações que uma festa junina pode oferecer, o Arraial da Providência oferece o “Bingo do Bem”, brincadeiras e recreação. Repetindo o sucesso do ano passado, o Espaço Moda Fashion está de volta reunindo estandes com bijuterias, acessórios e vestuário feminino.

O encontro da música caipira com a sertaneja marca a programação deste ano. Na sexta-feira, a noite é do autêntico forró “raiz”, com a apresentação do Trio Pé de Serra. No sábado, forró e música romântica sertaneja darão o tom da festa. Quem sobe primeiro ao palco é o Sotaque do Nordeste. Em seguida, o cantor carioca João Gabriel prova que o som rural possui um representante de primeira na cidade. No domingo, o Arraial será embalado pelo toque do triângulo e da sanfona e pela batida da zabumba do Trio Potiguá.

A expectativa da organização é que cerca de 25 mil pessoas passem pelo Arraial neste fim de semana. Os recursos obtidos com os três dias de festa serão destinados a programas sociais mantidos pelo Banco da Providência, que atua em 104 comunidades de baixa renda do município, promovendo, anualmente, oportunidades de geração de renda para mais de duas mil famílias.
O Arraial da Providência será aberto ao público nesta sexta-feira, 29 de junho, a partir das 17 horas. Já no sábado e domingo, 30 de junho e 1º de julho, a festa terá início às 13 horas. Os ingressos são vendidos na bilheteria do local por 40 reais. Quem entrar até 20 horas paga 30 reais. Estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada.

O Jockey Club fica à Rua Jardim Botânico, 1003, na Gávea.
* Fotos: Gustavo de Oliveira

Católicos permanecem sendo maioria.


Nice Affonso


De acordo com o Censo Demográfico 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os católicos permanecem sendo maioria, embora haja uma maior diversidade religiosa da população brasileira.

Os dados mostram que 64,6% da população professa a fé católica, havendo 72,2% de presença neste credo no Nordeste, 70,1% no Sul e 60,6% no Norte do país. A proporção de católicos foi maior entre as pessoas com mais de 40 anos, chegando a 75,2% no grupo com 80 anos ou mais.

A análise mostra que outros 22,2% da população são compostos por evangélicos, 8% por pessoas que se declaram sem religião, 3% por outros credos e 2% por espíritas.

CERIS mostra “Igreja Viva”
O Censo Anual de 2010 realizado pelo Centro de Estatística e Investigações Sociais (CERIS) — entidade brasileira de pesquisa religiosa fundada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) — revelou uma “Igreja Viva”. É o que afirma a análise sociológica da evolução numérica da presença da Igreja no Brasil, feita pelo sociólogo Padre José Carlos Pereira, que também é colaborador do CERIS:

De acordo com o sociólogo, os dados apontam para o aumento do número de paróquias e para a criação de novas dioceses, mostrando uma Igreja em constante crescimento:

“Os teóricos da secularização dizem que a religião está fadada ao fracasso, mas o que vemos é o contrário, pois à medida que surge a necessidade da criação de mais paróquias e estas de serem setorizadas, ampliando, assim, o seu alcance, supõe-se que os resultados são de uma maior adesão religiosa, inclusive de pessoas afastadas”, especifica o texto.

O centro de estatísticas também apontou um crescimento considerável em relação às vocações sacerdotais e religiosas, confirmando no Brasil a tendência do aumento do número de sacerdotes diocesanos e religiosos no mundo — conforme divulgou o Setor Estatístico do Vaticano, na semana passada, ao afirmar que o número passou de 405 mil para 413 mil.

“O quadro geral mostra uma vitalidade da religião católica, por meio de um borbulhar de novas modalidades, ou novas formas de viver a fé católica, por meio das novas comunidades, novos movimentos eclesiais e da volta às origens dos ideais das primeiras comunidades cristãs, que tem refletido outro quadro estatístico, que é da evolução do número de presbíteros entre os anos de 1970 e 2010, conforme vemos na atual planilha do CERIS.Isso indica um retorno ao catolicismo dos afastados, mas também uma identificação maior daqueles que já praticavam o catolicismo, mas não se sentiam muito firmes, identificados com a doutrina católica. Sendo assim, por mais que se diga que houve aumento no número dos que se dizem sem religião, ou que cresceu o interesse e as adesões a novos grupos religiosos e a novas igrejas, a Igreja Católica se revela ainda mais estruturada e em franca expansão, com seus empreendimentos missionários como, por exemplo, os que foram propostos pela Missão Continental”, destaca a redação da análise.

Alguns números da pesquisa
Paróquias
Os dados revelam um crescimento vertiginoso no número de paróquias entre os anos de 1994 a 2010, em diversos Regionais da CNBB, com destaque para os regionais Leste 2 (de 1.263 para 1.722) e Sul 1 (de 1.651 para 2.431) , que correspondem ao Estado de Minas Gerais e Espírito Santo (Regional Leste 2) e ao Estado de São Paulo (Regional Sul 1), que são os dois maiores Regionais em número de paróquias e de contingente populacional.

Padres
Em 2000 eram 16.772 padres. Em 2010 chegou a 22.119 padres. A distribuição de padres por habitantes é outro fator levantado pela pesquisa. Em 2000 havia pouco mais de 169 milhões de habitantes e para cada sacerdote eram 10.123,97 habitantes. Dez anos depois havia aproximadamente 190 milhões de habitantes e cada padre teria o número de 8.624,97 habitantes.

A concentração do clero por regiões brasileiras, segundo a pesquisa do CERIS, mostrou que havia uma concentração maior na região sudeste em detrimento das outras regiões. Do total de padres no país a região sudeste concentrava quase metade dos sacerdotes, com 45%. O sul ficava com um quarto da população de padres, 25%, o nordeste 16%, o centro-oeste apenas 9%. Já o norte seria a região com menos padres, apenas 3%.
* Fotos: Arquivo

Evangelho: Fé que rompe as fronteiras.





Fé que rompe as fronteiras
Mateus 8,5-17
Quando Jesus entrou na cidade de Cafarnaum, um oficial romano foi encontrar-se com ele e pediu que curasse o seu empregado. Ele disse:
- Senhor, o meu empregado está na minha casa, tão doente, que não pode nem se mexer na cama. Ele está sofrendo demais.
- Eu vou lá curá-lo! - disse Jesus.
O oficial romano respondeu:
- Não, senhor! Eu não mereço que o senhor entre na minha casa. Dê somente uma ordem, e o meu empregado ficará bom. Eu também estou debaixo da autoridade de oficiais superiores e tenho soldados que obedecem às minhas ordens. Digo para um: "Vá lá", e ele vai. Digo para outro: "Venha cá", e ele vem. E digo também para o meu empregado: "Faça isto", e ele faz.
Quando Jesus ouviu isso, ficou muito admirado e disse aos que o seguiam:
- Eu afirmo a vocês que isto é verdade: nunca vi tanta fé, nem mesmo entre o povo de Israel! E digo a vocês que muita gente vai chegar do Leste e do Oeste e se sentar à mesa no Reino do Céu com Abraão, Isaque e Jacó. Mas as pessoas que deviam estar no Reino serão jogadas fora, na escuridão. Ali vão chorar e ranger os dentes de desespero.
E Jesus disse ao oficial:
- Vá para casa, pois será feito como você crê.
E naquele momento o empregado do oficial romano ficou curado.
Jesus foi à casa de Pedro e viu a sogra dele de cama, com febre. Jesus tocou na mão dela, e a febre saiu dela. Então ela se levantou e começou a cuidar dele.
Depois do pôr-do-sol, o povo levou até Jesus muitas pessoas que estavam dominadas por demônios. E ele, apenas com uma palavra, expulsava os espíritos maus e curava todas as pessoas que estavam doentes. Jesus fez isso para cumprir o que o profeta Isaías tinha dito:"Ele levou as nossas doenças e carregou as nossas enfermidades."


Os primeiros mártires do Cristianismo - 30 de Junho.


Os primeiros mártires
da santa Igreja romana
Século I

Certo dia, um pavoroso incêndio reduziu Roma a cinzas. Em 19 de julho de 64, a poderosa capital virou escombros e o imperador Nero, considerado um déspota imoral e louco por alguns historiadores, viu-se acusado de ter sido o causador do sinistro. Para defender-se, acusou os cristãos, fazendo brotar um ódio contra os seguidores da fé que se espalharia pelos anos seguintes.

Nero aproveitou-se das calúnias que já cercavam a pequena e pouco conhecida comunidade hebraica que habitava Roma, formada por pacíficos cristãos. Na cabeça do povo já havia, também, contra eles, o fato de recusarem-se a participar do culto aos deuses pagãos. Aproveitando-se do desconhecimento geral sobre a religião, Nero culpou os cristãos e ordenou o massacre de todos eles.

Há registros de um sadismo feroz e inaceitável, que fez com que o povo romano, até então liberal com relação às outras religiões, passasse a repudiar violentamente os cristãos. Houve execuções de todo tipo e forma e algumas cenas sanguinárias estimulavam os mais terríveis sentimentos humanos, provocando implacável perseguição.

Alguns adultos foram embebidos em piche e transformados em tochas humanas usadas para iluminar os jardins da colina Oppio. Em outro episódio revoltante, crianças e mulheres foram vestidas com peles de animais e jogadas no circo às feras, para serem destroçadas e devoradas por elas.

Desse modo, a crueldade se estendeu de 64 até 67, chegando a um exagero tão grande que acabou incutindo no povo um sentimento de piedade. Não havia justificativa, nem mesmo alegando razões de Estado, para tal procedimento. O ódio acabou se transformando em solidariedade.

Os apóstolos são Pedro e são Paulo foram duas das mais famosas vítimas do imperador tocador de lira, por isso a celebração dos mártires de Nero foi marcada para um dia após a data que lembra o martírio de ambos.

Porém, como bem nos lembrou o papa Clemente, o dia de hoje é a festa de todos os mártires, que com o seu sangue sedimentaram a gloriosa Igreja Católica Apostólica Romana.

Fonte: http://www.paulinas.org.br/

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Próximo domingo: Rito de Admissão dos jovens e adultos da Iniciação Cristã.

A Iniciação Cristã convida a toda a comunidade a participar no próximo domingo(01/07) a partir das 17h do Rito de Admissão dos Catecúmenos. Mas o que significa esse rito?

“É de maior importância o rito da «admissão dos catecúmenos», porque, nesta altura, os candidatos, reunidos pela primeira vez em público, manifestam à Igreja a sua vontade, e a Igreja, desempenhando o seu múnus apostólico, admite aqueles que querem tornar-se seus membros. Deus concede-lhes a sua graça, uma vez que, nesta celebração, se manifesta publicamente o desejo dos candidatos e por parte da Igreja é significada a recepção deles e a sua primeira consagração”.

Após o Rito, eles passarão por diversas etapas, até chegarem a uma das etapas mais importantes, onde receberão o Sacramento da Crisma.

Por isso, pedimos a sua presença, pois eles estarão dando o SIM para a fé Católica e pedimos a todos que, como Igreja em Unidade que Cristo pede, possamos acolhê-los.

A Pastoral da Iniciação Cristã de Jovens e Adultos agradece desde já sua atenção e orações por todos esses jovens e adultos.

São Pedro e São Paulo - 29 de Junho.


São Pedro e São Paulo
Apóstolos
+ século I

A solenidade de São Pedro e São Paulo (29 de junho), quando cai em dia de semana, é comemorada no Brasil, no domingo seguinte, como foi determinado na VII Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Portanto, na Liturgia, a celebração deste ano, será no dia 1o. de julho.

A solenidade de são Pedro e de são Paulo é uma das mais antigas da Igreja, sendo anterior até mesmo à comemoração do Natal. Já no século IV havia a tradição de, neste dia, celebrar três missas: a primeira na basílica de São Pedro, no Vaticano; a segunda na basílica de São Paulo Fora dos Muros e a terceira nas catacumbas de São Sebastião, onde as relíquias dos apóstolos ficaram escondidas para fugir da profanação nos tempos difíceis.

E mais: depois da Virgem Santíssima e de são João Batista, Pedro e Paulo são os santos que têm mais datas comemorativas no ano litúrgico. Além do tradicional 29 de junho, há: 25 de janeiro, quando celebramos a conversão de São Paulo; 22 de fevereiro, quando temos a festa da cátedra de São Pedro; e 18 de novembro, reservado à dedicação das basílicas de São Pedro e São Paulo.

Antigamente, julgava-se que o martírio dos dois apóstolos tinha ocorrido no mesmo dia e ano e que seria a data que hoje comemoramos. Porém o martírio de ambos deve ter ocorrido em ocasiões diferentes, com são Pedro, crucificado de cabeça para baixo, na colina Vaticana e são Paulo, decapitado, nas chamadas Três Fontes. Mas não há certeza quanto ao dia, nem quanto ao ano desses martírios.

A morte de Pedro poderia ter ocorrido em 64, ano em que milhares de cristãos foram sacrificados após o incêndio de Roma, enquanto a de Paulo, no ano 67. Mas com certeza o martírio deles aconteceu em Roma, durante a perseguição de Nero.

Há outras raízes ainda envolvendo a data. A festa seria a cristianização de um culto pagão a Remo e Rômulo, os mitológicos fundadores pagãos de Roma. São Pedro e são Paulo não fundaram a cidade, mas são considerados os "Pais de Roma". Embora não tenham sido os primeiros a pregar na capital do império, com seu sangue "fundaram" a Roma cristã. Os dois são considerados os pilares que sustentam a Igreja tanto por sua fé e pregação como pelo ardor e zelo missionários, sendo glorificados com a coroa do martírio, no final, como testemunhas do Mestre.

São Pedro é o apóstolo que Jesus Cristo escolheu e investiu da dignidade de ser o primeiro papa da Igreja. A ele Jesus disse: "Tu és Pedro e sobre esta pedra fundarei a minha Igreja". São Pedro é o pastor do rebanho santo, é na sua pessoa e nos seus sucessores que temos o sinal visível da unidade e da comunhão na fé e na caridade.

São Paulo, que foi arrebatado para o colégio apostólico de Jesus Cristo na estrada de Damasco, como o instrumento eleito para levar o seu nome diante dos povos, é o maior missionário de todos os tempos, o advogado dos pagãos, o "Apóstolo dos Gentios".

São Pedro e são Paulo, juntos, fizeram ressoar a mensagem do Evangelho no mundo inteiro e o farão para todo o sempre, porque assim quer o Mestre.

Paróquia Nossa Senhora do Bonsucesso de Inhauma comemora 46 anos de serviços a Deus.

     No último domingo(24/06) a Paróquia Nossa Senhora do Bonsucesso de Inhauma comemorou seus 46 anos de serviços a Deus. E para comemorar a data, foi celebrada uma Santa Missa presidida pelo Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro D. Pedro Cunha. Todas as comunidades pertecentes ao território paroquial estiveram presentes juntos com seus padroeiros: Comunidade do Amorim - Capela de São José, Comunidade do Mandela - Capela de São Miguel Arcanjo, Comunidade da Varginha - São Jerônimo Emiliani e Igreja de São Tomé em Bonsucesso, além da Comunidade das Irmãs de Calcutá. No final , as crianças da Catequese fizeram a Coroação a Nossa Senhora. Após a Missa ainda houve um almoço comunitário.Confira algumas todos do dia.






















* Fotos: Michel Soares.

Evangelho: Jesus cura um leproso.





Jesus cura um leproso
Mt 8,1-4
Jesus desceu do monte, e muitas multidões o seguiram. Então um leproso chegou perto dele, ajoelhou-se e disse:
- Senhor, eu sei que o senhor pode me curar se quiser.
Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse:
- Sim, eu quero. Você está curado.
No mesmo instante ele ficou curado da lepra. Então Jesus lhe disse:
- Escute! Não conte isso para ninguém, mas vá pedir ao sacerdote que examine você. Depois, a fim de provar para todos que você está curado, vá oferecer o sacrifício que Moisés ordenou.


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Santa Sé: mudanças no rito de benção e imposição do pálio.


Canção Nova 

A Sala de Imprensa da Santa Sé informou em nota nesta quarta-feira, 27 de junho, o novo desenvolvimento do rito de benção e imposição do pálio aos arcebispos metropolitanos. O rito será no próximo dia 29, solenidade de São Pedro e São Paulo.

“O rito – diz o texto – substancialmente não variou. No entanto, desde este ano, seguindo a lógica de um avanço da continuidade, se pensou, somente, em uma colocação diversa do rito em si, que terá lugar antes do início da celebração eucarística”.

A modificação foi aprovada pelo Santo Padre e se deve a três motivos. O primeiro é para abreviar a duração do rito. Desta forma, a lista dos novos arcebispos metropolitanos será lida pouco antes da entrada da procissão inicial e do canto “Tu és Pedro”, fora da celebração. Quando o Santo Padre chegar ao altar, se procederá imediatamente ao rito dos pálios.

Outro motivo é evitar que a celebração eucarística seja “interrompida” por um rito excessivamente longo (os bispos metropolitanos são cerca de 45 todos os anos), o que poderia dificultar a participação atenta na Santa Missa. A mudança também quer trazer uma maior atenção ao desenvolvimento da imposição do pálio, tal e como está previsto no “Ceremoniale Episcoporum” e evitar que, devido à sua colocação depois da homilia – como acontecia antes -, se possa pensar em um rito sacramental.

De fato, os ritos que se incorporam à celebração eucarística depois da homilia são, naturalmente, ritos sacramentais: batismo, confirmação, ordem, matrimônio, unção dos enfermos. A imposição do pálio não tem caráter sacramental.

O pálio
O Pálio é uma espécie de colarinho de lã branca, com cerca de cinco centímetros de largura e dois apêndices. Nele estão bordadas seis cruzes. É confeccionado com a lã de dois cordeirinhos, ofertados ao Papa por jovens romanas, no dia 21 de janeiro de cada ano, data da festa de Santa Inês. A lã posteriormente é tecida pelas monjas beneditinas do Mosteiro de Santa Cecília, em Roma.

Arcebispos
Neste ano, sete arcebispos brasileiros receberão o pálio. São eles: arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck;, arcebispo de Niterói, Dom José Francisco Rezende Dias; arcebispo de Porto Velho, Dom Esmeraldo Barreto de Farias; arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha; arcebispo de Campinas, Dom Airton José dos Santos; arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho e o arcebispo de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto.

Veja abaixo a lista dos arcebispos metropolitanos que receberão o pálio neste ano:

- Cardeal Rainer Maria Woelki, arcebispo de Berlin (Alemanha)

- Cardeal Francisco Robles Ortega, arcebispo de Guadalajara (México)

- Dom Francesco Moraglia, Patriarca de Veneza(Itália)

- Dom Alfredo Horacio Zecca , arcebispo de Tucumán (Argentina)

- Dom Mario Alberto Molina Palma, O.A.R. , arcebispo de Los Altos, Quetzaltenango-Totonicapán (Guatemala).

- Dom Charles Joseph Chaput, O.F.M. Cap., arcebispo de Filadélfia (USA)

- Dom Luc Cyr, arcebispo di Sherbrooke (Canadá)

- Dom Salvador Piñeiro García-Calderón, arcebispo de Ayacucho o Huamanga (Perú)

- Dom Francesco Panfilo, S.D.B., arcebispo de Rabaul (Papua Nova Guiné)

- Dom Ulises Antonio Gutiérrez Reyes, O. de M., arcebispo de Cidade Bolívar (Venezuela)

- Dom Stanisław Budzik, arcebispo de Lublin (Polônia)

- Dom Wilson Tadeu Jönck, S.C.I., arcebispo de Florianópolis (Brasil)

- Dom Paul-André Durocher, arcebispo de Gatineau (Canadá)

- Dom Luis Antonio G. Tagle, arcebispo de Manila (Filipinas)

- Dom Patrick D’Rozario, C.S.C., arcebispo de Dhaka (Bangladesh)

- Dom Wiktor Paweł Skworc , arcebispo de Katowice (Polônia)

- Dom Jose F. Advincula, arcebispo de Capiz (Filipinas)

- Dom Filippo Santoro, arcebispo de Taranto (Itália)

- Dom José Francisco Rezende Dias, arcebispo de Niterói (Brasil)

- Dom Esmeraldo Barreto de Farias, Ist. del Prado, arcebispo de Porto Velho (Brasil).

- Dom Jaime Vieira Rocha, arcebispo de Natal (Brasil).

- Dom Joseph Harris, C.S.Sp. , arcebispo de Port of Spain (Antilhas).

- Dom Wacław Depo, arcebispo de Częstochowa (Polônia).

- Dom Ignatius Chama, arcebispo de Kasama (Zâmbia)

- Dom Pascal Wintzer. , arcebispo de Poitiers (França)

- Dom John Moolachira, arcebispo de Guwahati (Índia)

- Dom William Charles Skurla, arcebispo de Pittsburgh dei Bizantini (USA).

- Dom Joseph Coutts, arcebispo o de Karachi (Paquistão)

- Dom Rômulo Geolina Valles, arcebispo de Davao (Filipinas)

- Dom Airton José dos Santos, arcebispo de Campinas (Brasil)

- Dom Timothy Costelloe, S.D.B., arcebispo de Perth (Austrália)

- Dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho, arcebispo de Teresina (Brasil)

- Dom Thomas D’Souza, arcebispo de Calcutá (Índia)

- Mons. Arrigo MIGLIO, arzobispo de Cagliari (Italia)

- Dom John F. Du, arcebispo de Palo (Filipinas)

- Dom Paulo Mendes Peixoto, arcebispo de Uberaba (Brasil)

- Dom Christian Lépine, arcebispo de Montreal (Canadá)

- Dom William Edward Lori, arcebispo de Baltimore (USA)

- Dom Mark Benedict Coleridge, arcebispo de Brisbane (Austrália)

- Dom Jesús Carlos Cabrero Romero, arcebispo de San Luis Potosí (México)

- Dom Andrew Yeom Soo Jung, arcebispo de Seul (Coréia)

- Dom Benedito Roberto, C.S.Sp. arcebispo de Malanje (Angola)

- Dom Alfred Adewale Martins, arcebispo de Lagos (Nigéria)

- Dom Samuel Joseph Aquila, arcebispo de Denver (USA)

Receberão o pálio em suas sedes metropolitanas:
- Dom Gabriel Justice Yaw Anokye, arcebispo de Kumasi (Gana)

- Dom Valéry Vienneau, arcebispo de Moncton (Canadá)

* Foto: Canção Nova

Centro de Apoio ao Peregrino Mariano no Rio de Janeiro


 

A Federação das Congregações Marianas do Rio de Janeiro inaugurou na última segunda-feira, dia 25 de junho, o Centro de Apoio ao Peregrino Mariano (CAPM). O local servirá como ponto de apoio, onde a Federação poderá orientar jovens peregrinos das Congregações Marianas do Brasil que participarão da JMJ RIO2013. O lema adotado pelo Centro é o mesmo do evento que será realizado em 2013: “Ide e fazei discípulos em todas as nações”.

De acordo com o Presidente da Federação e Congregado Mariano, Paulo Dias, a proposta foi criar uma infraestrutura mínima com recursos de TI e de Internet, que permitam maior agilidade nas decisões e na execução das atividades da Federação rumo à Jornada.

O CAPM irá trabalhar com três linhas de atuação:

Linha 1: Juventude Mariana – Liderança de Márcio dos Anjos – Coordenador do Departamento de Juventude Mariana e Membro da Coordenação do Setor de Juventude da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

– Liderança de Márcio Blois – 1º Vice Presidente da Federação das Congregações Marianas da Arquidiocese do Rio de Janeiro e Relações Publicas da Confederação Nacional das Congregações Marianas do Brasil.

Linha 3: Congregações Marianas Estrangeiras – Liderança de Alexandre Martins - Membro da Congregação Mariana Sede da Sabedoria, Escritor Católico e Membro da Academia Marial de Aparecida (SP).

Para um melhor acompanhamento das atividades do CAPM foi disponibilizado um Portal na Internet (http://www.marianosdorio.org/ ) com o objetivo de facilitar a troca de informações, tirar dúvidas, dar orientações e coletar opiniões junto aos marianos do Brasil e do Exterior. Além disso, o Centro de Apoio ao Peregrino Mariano está disponibilizando cursos de Espanhol e Italiano para facilitar a comunicação entre os peregrinos estrangeiros e os jovens e congregados marianos inscritos como voluntários na JMJ.

Um dos componentes para a preparação espiritual dos marianos do Rio será a Hora Santa Mariana. Em breve, um subsídio será elaborado e enviado a todos os grupos da Federação para que juntos rezem e façam dessa Hora Santa um momento de comunhão com a Igreja e com as comunidades. Momento de contemplação e reflexão que conduza o CAPM aos bons propósitos da Jornada Mundial da Juventude 2013.

A inauguração do Centro de Apoio contou com a presença da Coordenadora Nacional da Juventude Mariana do Brasil, Luciene Pereira da Silva, do Coordenador do Departamento de Juventude Mariana do Estado do Rio de Janeiro, Jorge Pereira Rodrigues, do Coordenador Regional das Congregações Marianas do Estado do Rio de Janeiro, Eduardo Lopes Caridade, de toda a Diretoria Executiva da Federação e convidados, seguida de breve confraternização.

* Colaboração e Fotos: Márcio Blois


Linha 2: Congregações Marianas do Brasil

Convento Santo Antônio: evangelização no coração da cidade.


Raquel Araujo 

Grande monumento histórico para o Rio de Janeiro e meio de evangelização até os dias de hoje. Imponente bem ao alto do Largo da Carioca, no coração da cidade, o Convento de Santo Antônio pode passar despercebido por aqueles que andam apressados pelo Centro, mas ele é uma fonte viva e resistente da história da Igreja e guarda, em cada um de seus pilares, um pedaço da memória da Cidade Maravilhosa desde os tempos do império. Em 2007 começaram as obras de restauro no Convento, mas até hoje ainda não foram concluídas. Pensando nisso, o guardião, Frei Ivo Muller, convocou os fiéis para, nesta terça-feira, 26 de junho, darem um abraço simbólico ao Convento com o objetivo de que as burocracias relacionadas à obra não dificultem a sua conclusão.

— A importância desse Convento não é simplesmente para nós. A questão é que, se queremos atender ao povo de Deus e aos turistas que virão para cá por ocasião dos grandes eventos, inclusive para a Jornada Mundial da Juventude, é necessário termos a casa organizada. (...), afirmou Frei Ivo.

A adesão foi massiva. Após a missa, operários e devotos deram as mãos e, unidos, oraram pelas obras do Convento. Mais de 170 fiéis participaram desse ato de afeto àquilo que representa a propagação do Evangelho no Lago da Carioca.


Mesmo em obras, o Convento não fechou as suas portas e, muito menos os frades deixaram suas moradias no interior do mesmo. As celebrações mudaram de local: agora estão sendo realizadas no Salão do Capitulo, mas continuam atraindo milhares de fiéis diariamente. Frei Ivo resumiu o objetivo da congregação que se faz presente no Convento:

— A nossa missão é cuidar daquilo que nos foi entregue e que o próprio povo de Deus ajudou a construir. Temos essa missão de zelar por esse patrimônio e também pelo atendimento que nós fazemos. Nós atendemos confissão, damos benção, isso é próprio de Santo Antonio. Nós temos um santo muito poderoso. Então queremos continuar aqui fazendo esse trabalho de ajuda ao povo, de encontrar o seu caminho, o caminho da integração interior.

O Convento de Santo Antônio começou a ser erguido em 1608, com o lançamento da pedra fundamental. De lá para cá, já se vão mais de 400 anos. O Convento foi fundamental para a Independência do Brasil, onde foi elaborado o discurso do Fico e o esboço da primeira Constituição do Império. Por ele passaram grandes personagens franciscanos como Frei Fabiano de Cristo, conhecido por sua santidade e imensa bondade.

O Convento de Santo Antonio acompanhou praticamente toda a história da cidade do Rio de Janeiro. Na época, o lugar não só foi um pólo aglutinador do povo às margens da lagoa e do rio Carioca — hoje ambos desaparecidos—, mas também foi o ponto de partida para a assistência religiosa nas áreas mais afastadas da cidade. Foi de lá que saíram os frades que seguiam em expedições para o interior da cidade.

A devoção a Santo Antônio também merece destaque. Padroeiro dos pobres, um fiel discípulo de Cristo e verdadeiro seguidor do Senhor, Santo Antônio atrai milhares de fiéis. Durante as festas em honra ao Santo, por exemplo, o Convento recebe em torno de 140 mil pessoas.

— Abrimos o nosso refeitório, as partes internas, o claustro todo, porque não tinha espaço para celebrar, era muita gente. Então chegou um momento, na parte da tarde, em que tivemos que fechar a entrada para que quem estava aqui dentro pudesse sair e dar espaço aos demais. Tivemos que fazer por etapas mesmo. Quem vem aqui busca benção, busca pedidos de casamento, melhores salários, emprego... Santo Antônio é um santo muito popular, explicou o frei.


João Wagner de Sousa trabalha em frente ao Convento e testemunhou que, sempre que há um tempo, participa das missas no local. Apesar de ser paroquiano de outra Igreja, para ele, dedicar um tempo, mesmo que pequeno, a Deus é essencial.

— Qualquer momento, qualquer dia é propicio para louvar e agradecer a Deus. Quando tenho um tempinho de sobra no trabalho, venho aqui. Se não está tendo missa, aproveito para me confessar ou para fazer uma oração silenciosa. Deus é bom demais, e dedicar, nem que seja cinco minutos do seu dia a Ele é uma alegria imensa, afirmou.

Moradora do Catete, Marina Pina freqüenta o Convento de Santo Antônio desde os cinco anos de idade. Hoje com 73, ela dá continuação à devoção de seus pais:

— Eu acompanhava meus pais que eram devotos, minha mãe principalmente; então, tem bastante tempo que eu venho aqui ao Convento. Sou devota de Santo Antonio, e aqui posso escutar homilias maravilhosas, que me fazem entender ainda mais o Evangelho, opinou.

Confessionários mais antigos do Brasil
Ao longo do processo de restauração, as obras revelaram uma surpresa: atrás de uma grossa parede, três antigos confessionários foram encontrados. Eles foram encobertos em uma das reformas do Convento por uma grossa parede. Segundo a coordenadora geral do projeto de restauro, Ana Lúcia Pimentel, até então, os mais antigos eram os do Convento de Santa Teresa D’Ávila, do século XVIII.

— O importante desses confessionários é que no Brasil só se tinha conhecimento de único exemplar no convento Santa Tereza d’Ávila, na Bahia, em Salvador. E, de repente, quando derrubamos a parede do Convento de Santo Antônio, eles estavam íntegros atrás da parede. Então passaram a ser os mais antigos do Brasil devido à época da construção. É um momento histórico da arquitetura muito grande, porque você tem a possibilidade de devolver a importância histórica, a dignidade do convento para a cidade do Rio de Janeiro, disse.

Na restauração das cinco capelas do período barroco que compõem o Convento também foram encontrados alguns fatos históricos. A retirada de várias camadas de tinta revelou tons de dourado, efeitos marmorizados e pinturas raras. Misturadas a imagens de madeira, foram encontradas peças de terracota, do início do século XVII, como as que retratam o nascimento e a morte de São Francisco.

— Esse convento guarda em si muita historia que a sociedade não sabia. A sociedade tem que tomar conhecimento disso e se orgulhar do patrimônio que tem, opinou Ana Lúcia.

* Foto: Carlos Moioli


Escolhido o hino da CF 2013


CNBB 

O hino da Campanha da Fraternidade de 2013 já foi escolhido e aprovado pelos bispos do Conselho Episcopal Pastoral (Consep), que se reuniram em Brasília na última semana. A CF do próximo ano terá como tema: “Fraternidade e Juventude” e como lema: “Eis-me aqui, envia-me!” (Is 6,8).

O processo de escolha do hino passou por dois momentos: concurso para a letra e concurso para a música.

Em dezembro de 2011, representantes das Comissões Episcopais Pastorais para a Liturgia, Juventude e Campanha da Fraternidade, juntamente com o secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, escolheram a letra. Dentre as mais de 40 composições enviadas foi escolhida a letra de Gerson Cezar Souza.

E em maio deste ano, representantes das Comissões de Liturgia e Juventude, maestros convidados e o secretário geral da CNBB escolheram a composição musical de Gil Ferreira e Daniel Victor Santos.

— A CNBB recebeu mais de 100 contribuições e a equipe analisou cuidadosamente cada uma das composições levando em conta os critérios do concurso e as avaliações da CF deste ano, disse o assessor de Música Litúrgica da CNBB, Padre José Carlos Sala, ressaltando a grande riqueza melódica, harmônica e rítmica em estilos, os mais variados, próprios da diversidade cultural do nosso país.

Desde 2006, por decisão dos bispos do Consep, o CD da Campanha da Fraternidade traz o Hino da CF e o repertório quaresmal correspondente a cada ano. A proposta é que o hino seja tocado em algum momento da Missa, a critério da equipe de celebração e de quem preside.

— Por exemplo, em algum momento da homilia – o que facilitará a vinculação da liturgia da palavra com a vida (tema da CF) – ou nos ritos finais, no momento do envio. Prioritariamente, o hino deve ser usado nos momentos de estudo e encontros de formação sobre a CF, afirmou Padre José Carlos.

Evangelho: Quem ouve e quem não ouve a Palavra.



Quem ouve e quem não ouve a Palavra

Mt 7,21-29
- Não é toda pessoa que me chama de "Senhor, Senhor" que entrará no Reino do Céu, mas somente quem faz a vontade do meu Pai, que está no céu. Quando aquele dia chegar, muitas pessoas vão me dizer: "Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres!" Então eu direi claramente a essas pessoas: "Eu nunca conheci vocês! Afastem-se de mim, vocês que só fazem o mal!"
- Quem ouve esses meus ensinamentos e vive de acordo com eles é como um homem sábio que construiu a sua casa na rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Porém ela não caiu porque havia sido construída na rocha.
- Quem ouve esses meus ensinamentos e não vive de acordo com eles é como um homem sem juízo que construiu a sua casa na areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Ela caiu e ficou totalmente destruída.
Quando Jesus acabou de falar, as multidões estavam admiradas com a sua maneira de ensinar. Ele não era como os mestres da Lei; pelo contrário, ensinava com a autoridade dele mesmo.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

CLIPE DA SEMANA

Clipe da Semana:Adriana-Colo da mãe

Espero que gostem.

Evangelho: Como reconhecer os falsos profetas.



Como reconhecer os falsos profetas

Mt 7,15-20
- Cuidado com os falsos profetas! Eles chegam disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos selvagens. Vocês os conhecerão pelo que eles fazem. Os espinheiros não dão uvas, e os pés de urtiga não dão figos. Assim, toda árvore boa dá frutas boas, e a árvore que não presta dá frutas ruins. A árvore boa não pode dar frutas ruins, e a árvore que não presta não pode dar frutas boas. Toda árvore que não dá frutas boas é cortada e jogada no fogo. Portanto, vocês conhecerão os falsos profetas pelas coisas que eles fazem.

terça-feira, 26 de junho de 2012