sexta-feira, 28 de abril de 2017

Você é madrinha ou padrinho? Sabe o que isso significa?

7 ideias sobre a missão que você tem com seu afilhado(a)

É sempre um presente maravilhoso ser convidado a apadrinhar alguém, pois este é um serviço de amor.
 Mas será que temos claro o que isso realmente significa?
Se você foi convidado a ser padrinho de batismo ou crisma de alguém, vale a pena compreender qual é sua missão e colocá-la nas mãos de Deus, que lhe dará todas as graças necessárias para acompanhar seu afilhado no caminho da fé que o próprio Senhor nos convidou a trilhar.
Apresentamos, a seguir, 7 ideias sobre a missão que você tem como padrinho/madrinha:
1. Sua vida é seu currículo
Seu testemunho de vida é fundamental para iluminar a vida do seu afilhado em seu caminho cristão.
2. Dê o melhor presente
O melhor presente que você pode dar para o seu afilhado não é algo material no aniversário ou no Natal, e sim um acompanhamento sincero da sua vida espiritual e da sua relação com Jesus.
3. Você não é um pai/mãe substituto(a)
Faz parte da sua missão acompanhar também os pais do seu afilhado, fazer parte dessa família espiritual unida pela fé.
4. Compartilhe o que você tem de melhor
Os padrinhos compartilham sua fé; portanto é preciso alimentá-la e fazê-la crescer, estar preparados para responder às dúvidas do afilhado e acompanhá-lo em seus momentos de escuridão, iluminados especialmente pela Palavra de Deus.
5. Pratique o que você ensina
Os padrinhos são chamados a ser assíduos em sua paróquia, comprometidos com sua fé e com a vida da Igreja, especialmente no que diz respeito à vivência dos sacramentos.
6. Mantenha-se próximo
Procure criar um laço afetivo real com seu afilhado e sua família, compartilhando o tempo juntos, conhecendo seu processo e seu desenvolvimento como pessoa e como cristão.
7. Assuma sua responsabilidade plenamente
O batismo abre as portas do céu ao batizado, que se torna parte da Igreja, filho de Deus e com vocação à vida eterna. Quem aceita ser padrinho ou madrinha o faz de forma permanente, como demonstração de amor, mas também como um serviço a Deus, acompanhando esse novo cristão em seu desenvolvimento e amadurecimento.
Quem aceita este desafio e esta responsabilidade o faz para sempre, pois a condição de filho de Deus é eterna; portanto sua tarefa de amor, companhia, cuidado e orientação não acaba quando seu afilhado se torna adulto, mas continua durante a vida inteira.

Fonte: Aleteia

sábado, 15 de outubro de 2016

DEZ MESES SONHANDO COM UM JUBILEU...


Quando Padre Thiago chamou a mim e ao Nestor Rangel para conversar sobre uma ideia que tinha em mente, não imaginava o que nos aguardava. Quando ele disse que queria que produzíssemos um documentário que contasse a história da Paróquia Nossa Senhora do Bonsucesso de Inhaúma, confesso que o primeiro sentimento que tive no coração foi de medo! Como falar de sua paróquia de uma forma que envolvesse amor mas sabendo os limites dessa parcialidade como paroquiano e profissional? Logo iniciei a etapa principal de qualquer documentário: a pesquisa. Foram dois meses lendo documentos históricos, vendo fotos e vídeos antigos, conversando com paroquianos e conhecendo de forma mais profunda a história que envolve a aparição de Nossa Senhora do Bom Sucesso a Irmã Mariana e a chegada da imagem centenária ao Rio de Janeiro.



Depois partimos para a etapa de construção do roteiro que, diferentemente de um filme, por se tratar de um documentário, serviria para termos um "norte" em nossa jornada, já que, ele iria se transformando conforme o desenrolar dos depoimentos.




A ideia era contar a história de 120 anos da chegada da imagem da Padroeira e dos 50 anos como paróquia através do olhar daqueles que estiveram em momentos importantes dessa história. E lá fomos nós atrás dessas personagens.


Fazer uma viagem no tempo relembrando o passado, viver o presente e sonhar com o futuro.E assim começou a etapa de gravações que levou mais de 5 meses entre sábados,domingos e feriados. Nessa etapa se juntaram a mim, o Nestor nas imagens e Cleice e Cleiciane(nossas gêmeas Mesquitas) como assistentes de produção,câmera e áudio. E lá fomos numa jornada intensa de trabalho mas também de muita emoção! É impressionante como a lente de uma câmera tem o poder de fazer as pessoas abrirem seus corações perante a ela. Haviam momentos em que a voz embargava, os olhos lacrimejavam e tínhamos que dar uma pausa... Depoimentos puros,sinceros e reveladores!





Reunimos um grupo de crianças para falar do futuro e sem dúvida, foi uma das cenas mais desafiadoras para todos nós da equipe, primeiro lugar por se tratar de crianças que não eram atores, eram apenas crianças! E tínhamos que respeitar o tempo delas. Em segundo lugar,procurar otimizar o máximo possível das cenas, pois precisávamos captar aquilo que elas têm de melhor que é a alegria e sabíamos que uma vez cansadas, não teríamos essa "verdade" no sorriso e olhar delas. E em terceiro lugar, foi a primeira cena que imaginei e escrevi no roteiro, a partir dela que todo o restante foi se desenvolvendo e sendo criado. Essa cena era a nossa "menina-dos-olhos" do projeto. Contamos com a ajuda de um drone(um aviãozinho controlado remotamente com uma câmera embutida) que captou imagens aéreas nunca antes mostradas do nosso bairro e de nossa paróquia. 







Depois veio a etapa de edição e pós-produção, na qual envolveram várias madrugadas minha e do meu editor Nestor, pois precisávamos ver todo o material até ali coletado por várias e várias vezes para chegarmos aos pontos mais importantes dos depoimentos de forma que não ficasse exaustivo para o público final. Enquanto isso, eu e minhas assistentes corríamos atrás de mais imagens e de informações que faltavam para complementar o documentário. O material final não chega a metade daquilo que coletamos ao longo desses meses de gravação e infelizmente não dava para entrevistar a todos os paroquianos que temos a certeza que tem muitas histórias tão interessantes quanto para contar, mas esperamos que se sintam representados nas falas de cada um e nas cenas mostradas. No documentário, poderemos ver fotos e vídeos inéditos feitos ao longo desses 120 anos de história.








"Jubileu: O Nosso Bom Sucesso é Jesus" é mais que um documentário, é um relato de amor,dedicação e fé à Cristo Jesus e de devoção a sua Mãe, a Senhora do Bonsucesso!

Texto: Michel Soares
Fotos: Cleice Mesquita /Cleiciane Mesquita /Michel Soares /Rosa Pereira